segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

"Marcelo Rebelo de Sousa" de Vítor Matos






Marcelo Rebelo de Sousa define-se como um professor universitário, realizado em pleno com a vida académica, que chegou a catedrático de Direito como ambicionava desde adolescente. Mas, o Professor Marcelo, como é conhecido por todos os portugueses, é muito mais do que isso. Figura presente na política nacional dos últimos 40 anos, a sua passagem real pelos cargos políticos nunca se fez de glória. Foi líder do PSD durante 1091 dias mas, nunca chegou a primeiro-ministro. Hoje, não exerce cargos políticos, não lidera, mas tem mais poder que muitos ministros e deputados da nação. Ele condiciona, influencia e manobra, tem poder efectivo e gosta de o exercer. Tudo porque há 12 anos invade a casa dos portugueses com o seu comentário televisivo - conspiração e manipulação acusam os adversários - de onde salta, com facilidade surpreendente, leveza para os críticos, da política ou da economia para temas como o futebol. Marcelo é um «entertainer». Numa viagem ao longo de 64 anos, o autor conta-nos a história da família, da sua infância, desde que Marcello Caetano conduziu a sua mãe à maternidade. Marcelo viajou pelo país salazarista com o pai Baltazar, subsecretário de Estado, governador-geral de Moçambique e futuro ministro. Esteve na fundação do Expresso com Francisco Pinto Balsemão. Foi um dos primeiros militantes do PPD. Hoje tem o número três no cartão do partido. Mas esta obra original traz-nos também a visão do homem profundamente católico, divertido e excêntrico, que alimenta a pequena intriga e a grande conspiração, sobre o qual se construíram algumas lendas, algumas delas verdadeiras como a que dorme o mínimo, faz diretas a corrigir exames, dita dois textos em simultâneo, ou que escreve com as duas mãos ao mesmo tempo... A sua mãe, Maria das Neves, com quem tinha uma relação profunda, criou-o para altos desígnios. Em Janeiro de 2016 há eleições presidenciais, Marcelo Rebelo de Sousa, um racionalista puro, calculista e com aversão ao risco espera um sinal da Providência divina para se decidir a avançar…

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

"Não Nos Roubarão a Esperança" de Júlio Magalhães






Poderá o amor nascer em tempo de guerra? No Portugal de Salazar e nos tempos conturbados da guerra civil espanhola, Miguel Oliveira, voluntário português ao serviço das tropas nacionalistas de Franco, é feito prisioneiro pelos republicanos, depois de o seu avião ter caído nos arredores de Barcelona. Um feliz golpe de sorte salva-o de um julgamento sumário e de uma morte certa por fuzilamento. Será trocado por um oficial republicano, perto de Madrid. Miguel inicia uma longa viagem de automóvel que o vai levar de Barcelona a Madrid num território pejado de perigos. Será durante essa intensa viagem que ele conhecerá e se apaixonará por Dolores, a jovem republicana responsável por levá-lo à capital espanhola. Outrora uma defensora ardente da República, Dolores está nos finais da guerra, cansada de ver tanta morte e destruição. Para sua grande surpresa e sem nunca abandonar os seus ideais, a jovem republicana encontrará em Miguel um bom confidente e até um protetor. Tendo como pano de fundo a violenta paisagem desenhada pela guerra civil, Não nos roubarão a esperança, narra o nascimento de um grande amor que terá de provar ser mais forte do que o ódio.

sábado, 24 de novembro de 2012

"O Funeral da Nossa Mãe" de Célia Correia Loureiro






Quando Carolina Alves se suicida, aos 58 anos, deixa um último pedido: o de que as suas três filhas se reúnam no seu funeral, na pequena povoação (fictícia) de Vila Flor, Alto Alentejo.Quer que participem na festa em honra da padroeira da mesma, pondo de lado o decoro esperado de três órfãs.

Luísa emigrou para França, é viciada em trabalho e despreza o seu passado. Praticamente jurara não voltar a pisar a vila da sua infância. Cecília, recentemente casada, é pianista de fama relativa e acabara de se mudar definitivamente para Vila Flor. Inês, que dedica a sua juventude às causas políticas, mal recorda um pai de quem se vai falar bastante e que morreu num trágico acidente de carro em vésperas de Natal...

Com a ajuda de Elisa, única irmã de Carolina, vão desvendar ao longo de quatro dias o passado inesperado da mãe, que não é bem aquilo que tinham julgado, e que cometeu um acto indesculpável para prender, há trinta e oito anos atrás, aquele que viria a ser o pai das suas três filhas...

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

"Amália - O Romance da sua vida" de Sónia Louro






Este é o romance sobre a vida de Amália, a fadista mais amada e, simultaneamente, mais desconhecida em Portugal. Operária numa fábrica de rebuçados, estreia-se a cantar em 1939. Movida apenas pela vontade de cantar e sem qualquer ambição, nem sonha que um dia será a maior artista portuguesa de sempre.
Ganhando rapidamente projecção internacional, deixa multidões rendidas à sua voz. E também os corações se rendem ao seu magnetismo: do simples povo a estrelas como Charles Aznavour ou Anthony Quinn. Mas enquanto destroça corações, o seu vive apenas desilusões. Várias vezes contempla o suicídio. Recebendo propostas milionárias para ficar a trabalhar no estrangeiro, o amor a Portugal fá-la sempre regressar. Ano após ano arrebata galardões, conquista os críticos e cruza-se com as grandes personalidades do seu tempo: Édith Piaf, Hemingway, Frank Sinatra.
No final da vida, o que pode querer alguém com o mundo a seus pés? A felicidade que nunca sentiu? A autoconfiança que nunca teve? Amália deixou-nos no dia 6 de Outubro de 1999 com uma só ambição: que a chorássemos quando morresse. Uma vida tão bela quanto inspiradora.

sábado, 3 de novembro de 2012

"Os Meninos da Jamba" de Conceição Queiroz

Envolvendo o leitor no drama das crianças que passam vários dias sem comer no sul de Angola, o livro Os Meninos da Jamba convoca o leitor a conhecer a problemática da fome e da luta diária de milhares de pessoas em satisfazer necessidades básicas numa das regiões mais castigadas pela guerra civil que assolou aquele país.
Da procura constante de alimentos às dificuldades de resolução dos mais vulgares problemas de saúde, das campanhas de apoio internacional à confiança de que um destino mais risonho acabará um dia por chegar, Os Meninos da Jamba percorre os caminhos da uma Jamba Mineira praticamente destruída e abandonada, revisita uma Luanda estonteante e não esquece os sinais de esperança de um país onde todos os habitantes têm os olhos postos no futuro.
Este livro conta a história de gente anónima com quem a jornalista Conceição Queiroz conviveu intensamente nas duas vezes que se deslocou a Angola. Gente anónima com direito a mais, muito mais.
Os Meninos da Jamba de Conceição Queiroz

Excerto
«As Histórias Reais que agora Conceição Queiroz nos relata prendem a atenção do leitor da primeira à última página porque a sua escrita despretensiosa e elegante filtra bem as emoções e reproduz, com rigor, afecto e humanidade, a vida das personagens que desfilam ao longo das paisagens, dos diálogos e dos próprios silêncios que os povoam.»
Jorge Sampaio in Prefácio

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

Desafio

Dando continuidade ao Desafio anterior vou fazer o mesmo mas com livros que lerei a partir de agora...

A - "Ana Kelly" de Ângela Leite
B - "Breve História de Amor" de Tiago Rebelo
C - "A Casa do Lago" de Elizabeth Edmondson
D - "A Dama das Camélias" de Alexandre Dumas
E - "Em Nome do Filho" de Luísa Castel-Branco
F - "Foi Assim Que Aconteceu" de Teresa Font
G - "Gabriela, Cravo e Canela" de Jorge Amado
H - "A Herdeira" de Marion Zimmer Bradley
I - "A Infanta Rebelde" de Raquel Ochoa
J - "Jane Eyre" de Charlote Bronte 
L - "Lua-de-Mel em Paris" de Elizabeth Adler
M - "A Melodia do Amor" de Lesley Pearse
N - "No Teu Deserto" de Miguel Sousa Tavares
O - "O Coração de Murano" de Marina Fiorato
P - "Procuro-te" de Lesley Pearse
Q - "Os Meninos da Jamba" de Conceição Queiroz
R - "A Rosa Rebelde" de Janet Paisley
S - "A Sombra do Vento" de Carlos Ruiz Zafón
T - "Tu És o Meu Coração" de Alan Lazar
U - "Uma Noite Em Nova Iorque" de Tiago Rebelo
V - "Verão na Riviera" de Elizabeth Adler
X - Uma Cana de Pesca Para O Meu Avô de Gao Xingjian
Z - "O Príncipe da Neblina" de Carlos Ruiz Zafón

quarta-feira, 31 de outubro de 2012

A companhia dos livros...

Boas tardes...

Hoje fui até ao Cascais Shopping e resolvi não comprar um livro, mas sim investir em 4 cd's que estavam numa grande superfície, FNAC...

Comprei só música nacional...



 


E no total gastei 20€

terça-feira, 30 de outubro de 2012

"Nas Asas da Memória" de Sarah Sundin

Irá um segredo do passado destruir a possibilidade de um futuro?

O major Jack Novak nunca recusou enfrentar um desafio – até que conhece a enfermeira tenente Ruth Doherty. Quando Jack vai parar ao hospital do exército depois da queda de um avião, decide que a sua missão prioritária é conquistar o coração de Ruth. Não será fácil. Não só Ruth está concentrada no seu trabalho para poder sustentar a família, como carrega um segredo vergonhoso que a impede de entregar o coração a qualquer homem. À medida que o perigo e a tensão da Segunda Guerra Mundial aumentam, Jack e Ruth irão precisar um do outro mais do que nunca. Conseguirá Jack transpor as defesas dela? Ou estarão destinados a seguir caminhos diferentes



Conseguirão eles ultrapassar o passado… e encontrar juntos um futuro melhor?

«Uma leitura excepcional. O romance de Sundin tem personagens que vivem sob grande stress físico e emocional, enquanto o pano de fundo fornece pormenores preciosos sobre a mentalidade de guerra.»
Booklist

«Factos históricos entrelaçados com personagens convincentes torna Nas Asas da Memória uma emocionante história de guerra, intriga e amor.»
Romantic Times

«Uma história fascinante baseada nas aventuras reais do tio-avô da autora.»
Lynne Welch

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

"O Coração de Murano" de Marina Fiorato


O fabrico de vidro e cristal representa um inestimável monopólio para a República e os espelhos venezianos são considerados mais valiosos do que o ouro. Sob a vigilância atenta do Conselho dos Dez, os sopradores de vidro de Murano vivem praticamente aprisionados na pequena ilha, onde os segredos do seu ofício são guardados a sete chaves. Mas o maior dos artífices, Corradino Manin, ver-se-á forçado a revelar os seus métodos e a vender a alma a Luís XIV, o Rei Sol, para proteger a sua filha ilegítima.

Quase quatro séculos depois, Leonora Manin deixa para trás um passado infeliz em Londres para iniciar uma nova vida como sopradora de vidro em Veneza. Será na cidade mágica dos canais que encontrará o amor e a possibilidade de refazer a sua vida. No entanto, à medida que os segredos da traição do seu antepassado vão sendo desvendados, Leonora verá o seu próprio destino interligado com o de Corradino.

Entre dois tempos, o período renascentista e a actualidade, O Coração de Murano é um romance inesquecível que decorre na mais bela cidade do mundo.

terça-feira, 16 de outubro de 2012

"Um Dia Naquele Inverno" de Sveva Casati Modignani


Numa grande mansão, às portas de Milão, vivem os Cantoni, proprietários há três gerações da homónima e prestigiada fábrica de torneiras.
Aparentemente, todos os membros da família levam uma vida transparente, mas, na realidade, todos eles escondem segredos que os marcaram; existem situações que, ainda que conhecidas por todos, permanecem um tema tabu. Omite-se até a loucura de que sofre Bianca, a matriarca desta dinastia.
Um dia, entra em cena Léonie Tardivaux, uma jovem francesa sem dinheiro e sem parentes, que casa com Guido Cantoni, o único neto de Bianca. Léonie adapta-se bastante bem à rotina familiar, compreendendo a regra de silêncio dos Cantoni. Isso não a impede de ser uma esposa exemplar, uma mãe atenta e uma gerente talentosa, que, com bastante êxito, conduz a firma pelo mar hostil da recessão económica. No entanto, também ela cultiva o seu segredo, aquele que todos os anos, durante apenas um dia, a leva a largar tudo e a refugiar-se no Lago de Como.

Mais uma vez, Sveva Casati Modignani cativa o leitor com uma saga familiar que atravessa quase um século da História de Itália, dos anos 20 até aos dias de hoje, colocando em cena personagens encantadoras: homens inteligentes, autênticos e perspicazes, que têm ao seu lado mulheres fortes e inigualáveis, capazes de os aconselhar e apoiar.

"Nunca Digas Adeus" de Lesley Pearse




Num chuvoso dia de outono, Susan Wright entrou numa clínica, matou duas pessoas a sangue-frio e aguardou que a polícia chegasse. Terá sido um ato de loucura? Uma vingança planeada? Susan não parece interessada em defender-se e recusa falar. O seu silêncio estende-se a Beth Powell, a advogada a quem é atribuído o caso. Beth é uma mulher de sucesso com uma carreira brilhante mas nada a preparara para o momento em que identifica a autora daquele crime tão bárbaro. Quando eram crianças, Beth e Susan juraram ser amigas para sempre. Vinte e nove anos depois, mal se reconhecem. Mas as memórias dos verões felizes das suas infâncias são suficientemente poderosas para as unir de novo. Enquanto as provas contra Susan se acumulam, elas partilham recordações e revelam os segredos que ditaram o rumo das suas vidas.
A amizade entre as duas mulheres torna-se cada vez mais forte mas sobre uma delas pende a implacável mão do destino…

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

"Carnaval em Veneza" de Michelle Lovric


1782. Cecilia, a filha de treze anos de um importante mercador de Veneza, é atraída por um gato para longe do seu banho e dá por si, nua, nos braços de Casanova, o lendário sedutor de mulheres. No seu leito, a jovem conhecerá o lado luminoso do amor. Duas décadas depois, já uma pintora de renome, Cecilia conhece o segundo amor da sua vida: um jovem poeta à procura aventura a qualquer preço. Ele é Lord Byron e, com ele, Cecilia irá descobrir o lado negro da paixão. A ternura e generosidade de Casanova versus a rudeza e secura de Byron. Dois amores que vão influenciar a arte de Cecilia e agitar a sociedade da mais decadente, sensual e majestosa das cidades: Veneza.

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

"Lua-de-Mel em Paris" de Elizabeth Adler


Paris, a cidade mais romântica do mundo, é palco de luas-de-mel de sonho e de paixões recentemente descobertas. E para Lara Lewis é o lugar onde ela e o marido viveram o amor no seu melhor. Mais de vinte anos depois, Lara deseja reacender a chama do seu casamento e planeia uma aventura romântica para os dois: reconstituir todos os momentos da sua idílica lua-de-mel em Paris e pela França, visitar os mesmos lugares, comer nos mesmos restaurantes, explorar as mesmas aldeias mágicas. Porém, quando o marido lhe diz, à última hora, que existe outra mulher na sua vida, o coração de Lara quase se estilhaça em mil pedaços.

Algures na estrada da vida, Lara perdeu-se a si própria. Agora, terá de descobrir um novo rumo para a sua existência. Inesperadamente, Lara dá um passo ousado e convida um homem, mais novo e com quem ela acaba de se envolver, para fazer a tão desejada segunda lua-de-mel. O que se segue é a história de dois apaixonados errando pela França numa louca aventura romântica, que se inicia com voos perdidos e bagagem extraviada e termina como sendo a viagem de uma mulher para se encontrar a si própria e ao amor que lhe escapou a vida inteira.

Lua-de-mel em Paris é uma incursão apaixonante pelos sabores, sons, paisagens e aromas de França e a história de uma mulher que se reconcilia com o seu passado e se converte na mulher que sempre desejara ser.
Lua-de-Mel em Paris de Elizabeth Adler

Críticas de imprensa
«Profundamente envolvente, esta aventura romântica é perfeita para todos os que se sentem atraídos por Paris e pela França.»
Hello!

«Adler retrata a dinâmica de uma nova relação na perfeição, mas é a descrição pormenorizada e rica de Paris e de França que torna imperdível a leitura deste livro.»
Publishers Weekly

«Uma viagem maravilhosa sobre a luta de uma mulher para recuperar a sua identidade e amor-próprio.»
Romantic Times

«Fantásticas aventuras pela França conduzem a uma intensa jornada de autodescoberta.»
Booklist

segunda-feira, 17 de setembro de 2012

"Refém do Amor" de Nora Roberts


Phoebe MacNamara é uma das melhores negociadoras de reféns da cidade, e a sua última missão consiste em impedir um suicida de saltar do topo de um edifício pertencente a Duncan Smith. Impressionado pela coragem e frieza da jovem, Duncan sente-se intrigado por Phoebe e tenta desarmá-la com o seu charme, convidando-a para uma bebida. Como mãe solteira e mulher a tentar construir uma carreira num mundo dominado por homens, Phoebe não tem tempo na sua vida para romance, mas nem todas as suas habilidades como negociadora conseguem convencer Duncan a desistir dela. E quando Phoebe se torna alvo de um assassino psicopata desejoso de destruir a sua vida profissional e pessoal, Duncan poderá ser o homem que Phoebe quer a seu lado. Nora Roberts volta a encantar o leitor com mais uma irresistível combinação de suspense e romance.

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

"Uma Cana de Pesca Para o Meu Avô" de Gao Xingjian




É o primeiro livro que nos chega em tradução portuguesa do Prémio Nobel da Literatura do ano 2000. "Uma Cana de Pesca para o meu Avô" é uma colectânea de seis contos do escritor Gao Xingiian, nascido na China Oriental em 1940, perseguido pelo regime, enviado para um "campo de reeducação" durante a revolução cultural e exilado em Paris desde 1987.
Os contos variam entre o lirismo e o absurdo (foi com a publicação de peças de teatro inspiradas em Becket que Gao Xingiian se afirmou), e neles são visíveis os sinais de exílio e perseguição, as alusões aos tempos terríveis por que os chineses passaram. Mas há também um sinal de esperança e crença na "bondade do coração humano": "tudo isso pertence ao passado. Temos de aprender a esquecer".

terça-feira, 28 de agosto de 2012

"Gabriela, Cravo e Canela" de Jorge Amado




Gabriela, a mulata com a cor da canela e o cheiro do cravo, ficará na literatura como uma formosa figura de mulher, simples e espontânea, acima do Bem e do Mal. Com o seu inigualável lirismo e inspiração poética, Jorge Amado cria personagens inesquecíveis, e o comovente romance de amor do árabe Nacib e da mulata Gabriela coloca-os, sem dúvida, na galeria dos amantes da História da Literatura. Mas Gabriela, Cravo e Canela é mais do que a história de amor do árabe Nacib e da sertaneja Gabriela. É a crónica de uma pequena cidade baiana, Ilhéus, quando passava por bruscas transformações, por volta do ano de 1925. A riqueza trazida pelo cacau possibilitara o desenvolvimento urbanístico e o progresso económico, transformando profundamente a fisionomia da cidade. Pouco evoluíam, no entanto, os costumes dos habitantes, imperando, naquele cenário de violência, a lei dos mais fortes - os fazendeiros - que tendo a seu trabalho os jagunços, impunham o domínio do ódio e do terror. Sensual e inocente, sábia e pueril, a cozinheira Gabriela conquista não apenas o coração de Nacib e de uma porção de ilheenses, mas também o de leitores de vários países e gerações. Levada para a televisão, a sua história transformou-se numa das telenovelas brasileiras de maior sucesso pelo mundo fora. No cinema, o papel de Nacib é vivido por Marcello Mastroianni, e o de Gabriela por Sônia Braga, como já acontecera na novela.

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

"Uma Noite Em Nova Iorque" de Tiago Rebelo


Uma Noite em Nova Iorque é uma complexa história de encontros e desencontros, promessas e desilusões; mas também uma história de descoberta e de esperança, que reflecte o dilema dos protagonistas divididos entre duas forças poderosas: a obrigação de perpetuar uma união que já não lhes traz alegria e a urgência de correr atrás de uma enorme paixão que mais não é do que uma carta fechada.

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

"A Ilha" de Victoria Hislop


Um livro que o vai prender até à última página!


Num momento em que tem que tomar uma decisão que pode mudar a sua vida, Alexis Fieldings está determinada a descobrir o passado da sua mãe. Mas Sofia nunca falou sobre ele, apenas contou que cresceu numa pequena aldeia em Creta antes de se mudar para Londres. Quando Alexis decide visitar Creta, a sua mãe dá-lhe uma carta para entregar a uma velha amiga e promete que através dela, Alexis vai ficar a saber mais. Quando chega a Spinalonga, Alexis fica surpreendida ao descobrir que aquela ilha foi uma antiga colónia de leprosos. E então encontra Fotini e finalmente ouve a história que Sofia escondeu toda a vida: a história da sua bisavó Eleni, das suas filhas e de uma família assolada pela tragédia, pela guerra e pela paixão. Alexis descobre o quão intimamente ligada está àquela ilha e como o segredo os une com tanta firmeza.

Opinião Fnac

Um livro comovente, repleto de emoções, que nos relata a história de uma família massacrada pela tragédia e pela dor: uma história comovente, mas ao mesmo tempo muito rica, no que respeita ao amor.

quarta-feira, 8 de agosto de 2012

"Verão na Riviera" de Elizabeth Adler






A americana Lola Laforêt pensava que tinha tudo: um casamento estável com Patrick, um francês muito encantador, e o Hotel Riviera, um espaço mágico voltado para o azul do Mediterrâneo, a sua grande paixão. Até que um dia Patrick desaparece misteriosamente sem deixar rasto…
Seis meses depois, Jack Farrar, um americano que passeia pelo mundo a bordo do seu barco, lança âncora na enseada do Hotel Riviera e vai mostrar a Lola o verdadeiro significado do amor.
A atracção entre ambos é imediata, mas, após o que aconteceu com Patrick, Lola receia envolver-se novamente. Será Jack um homem de confiança? Quando a polícia a questiona acerca do paradeiro do marido e, em seguida, várias pessoas suspeitas reivindicam a posse do Hotel Riviera, Lola recorre à ajuda de Jack para encontrar o misterioso Patrick e resolver, de uma vez por todas, o seu futuro.

"Uma Fazenda Em África" de João Pedro Marques

Uma história de amor e aventura nos primórdios da colonização de Moçâmedes.


Ao acordar em sobressalto naquela noite de Junho de 1848, a jovem Benedita não podia imaginar a transformação radical que a sua vida iria sofrer. Um ano volvido, tendo perdido tudo o que a prendia a Pernambuco, embarcava com escassos haveres e o coração apertado em direcção a Moçâmedes. Consigo seguia mais de uma centena de portugueses que, desiludidos com o Brasil, procuravam uma nova oportunidade, fundando uma colónia agrícola do outro lado do Atlântico.

Uma Fazenda em África acompanha a vida e as histórias dos primeiros colonos numa terra brutal, trazendo à superfície os sucessos e desaires, os perigos e as surpresas da sua fixação num território inóspito e selvagem.

Baseado numa investigação histórica meticulosa e tendo como pano de fundo a colonização de Moçâmedes, este novo romance de João Pedro Marques leva-nos por uma África simultaneamente enternecedora e inclemente, carregada de exotismo e em cujos trilhos a aventura e o amor caminham de mãos dadas.



Vou deixar este livro em aberto porque não andava nem desandava...

sexta-feira, 27 de julho de 2012

"Laços Familiares" de Danielle Steel



Várias vidas numa só vida. Annie era uma promissora jovem arquiteta. O primeiro trabalho, a sua primeira casa, o primeiro amor. Tudo parecia começar ali, naquele momento. De súbito todos os seus planos se alteram. A morte da irmã obriga-a a seguir outro caminho. Há muito tempo atrás prometera-lhe que nunca deixaria os três sobrinhos desamparados, pelo que com desaparecimento da irmã se torna mãe de três fabulosas crianças. Hoje Annie é uma mulher madura, sem arrependimentos, mas as crianças cresceram e começam a deixar o ninho. Quando ela pensava que a sua vida se tornava quase previsível uma nova reviravolta leva-a numa outra direção... Poderá ainda Annie reconstruir a sua vida?

sexta-feira, 20 de julho de 2012

"Memórias Esquecidas" Beto

O livro que ando a ler faz-me sempre lembrar de um nosso artista, cantor, que infelizmente já não se encontra perto de nós, o Beto

Deixo aqui o vídeo da música homónima do livro que ando a ler:

Até Sempre...

"Memórias Esquecidas" de Jodi Picoult


Cativante e absorvente, Memórias Esquecidas é um livro sobre a natureza e o poder da memória. Explora o que acontece quando um passado do qual fugimos nos apanha - e quando as memórias que pensávamos esquecidas regressam para nos ameaçar.
Delia Hopkins foi criada na zona rural do New Hampshire pelo pai, viúvo há trinta anos. Delia tem uma filha pequena, um noivo atraente e uma cadela de busca que usa para procurar pessoas desaparecidas. Mas, enquanto planeia o seu casamento, descobre antigas fotografias que lhe vêm relembrar memórias esquecidas e passa a viver atormentada por flashbacks de uma vida que não se lembra de ter vivido. Chocada e confusa, Delia sente que tem de procurar a verdade entre estas memórias recentemente descobertas - mesmo que elas ameacem devastar a sua vida e a vida das pessoas que ela mais ama.

quarta-feira, 11 de julho de 2012

"Alma Rebelde" de Carla M.Soares


No calor das febres que incendeiam a Lisboa do século XIX, Joana, uma burguesa jovem e demasiado inteligente para o seu próprio bem, vê o destino traçado num trato comercial entre o pai e o patriarca de uma família nobre e sem meios.
Contrariada, Joana percorre os quilómetros até à nova casa, preparando-se para um futuro de obediências e nenhuma esperança.
Mas Santiago, o noivo, é em tudo diferente do que esperava. Pouco convencional, vivido e, acima de tudo, livre, depressa desarma Joana, com promessas de igualdade, respeito e até amor.
Numa atmosfera de sedução incontida e de aventuras desenham-se os alicerces de um amor imprevisto... Mas será Joana capaz de confiar neste companheiro inesperado e entregar-se à liberdade com que sempre sonhou? Ou esconderá o encanto de Santiago um perigo ainda maior?

quinta-feira, 5 de julho de 2012

"Demência" de Célia Correia Loureiro


No seio de uma aldeia beirã, Olímpia Vieira começa a sofrer os sintomas de uma demência que ameaça levar-lhe a memória aos poucos. A única pessoa que lhe ocorre chamar para assisti-la é a sua nora viúva, Letícia. Mas Letícia, que se faz acompanhar das duas filhas, tem um passado de sobrevivência que a levou a cometer um crime do qual apenas a justiça a absolveu.
Perante a censura dos aldeões, outrora seus vizinhos e amigos, e a confusão mental da sogra, Letícia tenta refazer-se de tudo o que perdeu e dos erros que foi obrigada a cometer por amor às filhas. O passado é evocado quando Sebastião, amigo de infância de Olímpia, surge para ampará-la e Gabriel, protagonista da vida paralela que Letícia gostaria de ter vivido, dá um passo à frente e assume o seu papel de padrinho e protector daquelas três figuras solitárias…

domingo, 24 de junho de 2012

"Em troca de um Coração" de Jodi Picoult


Aceitava realizar o último desejo de um condenado para salvar a vida de um filho? Com uma sensibilidade literária invulgar, Jodi Picoult conduz uma vez mais o leitor a uma encruzilhada moral. Como é que uma mãe concilia a trágica perda de um filho com a oportunidade de salvar a alma de um homem que odeia? Shay foi condenado à morte por matar a pequena Elizabeth Nealon e o padrasto. Onze anos mais tarde, a irmã de Elizabeth, Claire, precisa de um transplante de coração e Shay, que vai ser executado, oferece-se como dador. Este último desejo do condenado complica o plano de execução, pois uma injecção letal inutilizaria o órgão. Entretanto, a mãe da criança moribunda debate-se com a questão de pôr de parte o ódio para aceitar o coração do homem que matou a sua filha. Picoult hipnotiza o leitor com uma história de redenção, justiça, e amor.

segunda-feira, 11 de junho de 2012

"A Herdeira" de Marion Zimmer Bradley

Leslie Barnes comprou recentemente a sua primeira casa com vista sobre a Golden Gate Bridge, em São Francisco. A casa parece perfeita para ela e para a irmã, uma jovem sobredotada para a música. Mas, assim que começam a viver na nova casa, dão-se uma série de estranhos acontecimentos que perturbam fortemente as duas irmãs.
Com horror, Leslie apercebe-se que está a viver num vórtice de poder mágico e que terá de tornar-se na guardiã desse poder para que este não caia nas mãos daqueles que procuram usá-lo para fins perversos.
Leslie, que é psicóloga de profissão, sente-se perdida ao ter que lidar com o oculto até ao momento em que conhece Claire Moffatt, uma médium encantadora, e o seu mentor, Colin MacLaren, um parapsicólogo mundialmente famoso.
Juntos, enfrentarão o mal e possibilitarão a Leslie tomar posse daquela que é a sua herança.


Críticas de imprensa
«Este é um romance primorosamente articulado, burilado até à obsessão. Cheio de silêncios e de sombras, de coisas maravilhosas e de coisas negras, pesadas, temíveis, que se questionam entre si, jamais obtendo o leitor uma resposta definitiva para o vazio e para o nada. Ou não fosse o coração de A Herdeira isso mesmo: a dúvida. A dúvida que nasce da complexidade da alma.»
Diário de Notícias

domingo, 3 de junho de 2012

"As Filhas da Princesa Sultana" de Jean P.Sasson


Agora, neste novo livro de Jean Sasson, “Sultana” fala-nos das suas duas filhas: uma que se atreveu a ter uma relação proibida, com outra mulher; a segunda que se tornou uma religiosa fanática, disposta a destruir tudo aquilo por que a mãe lutou.
Como pano de fundo, a terrível realidade das mulheres que a cercam – sujeitas à circuncisão feminina, vendidas como concubinas, forçadas a casamentos forçados ainda na puberdade, e legalmente violadas ou mesmo assassinadas pelos maridos.

As Filhas da Princesa Sultana constitui assim um documento fascinante sobre um mundo que lamentavelmente ainda existe, não muito longe de nós, neste final do século XX.

sexta-feira, 1 de junho de 2012

"O Principe da Neblina"

O primeiro livro da trilogia Neblina.

Um diabólico príncipe que tem a capacidade de conceder e realizar qualquer desejo... a um preço muito elevado.
O novo lar dos Carver, numa remota aldeia da costa sul inglesa, está rodeado de mistério. Respira-se e sente-se a presença do espírito de Jacob, o filho dos antigos donos, que morreu afogado.
As estranhas circunstâncias dessa morte só se começam a perceber à medida que os jovens Max, a irmã Alicia e o amigo Roland vão descobrindo factos muito perturbadores sobre uma misteriosa personagem de seu nome… o Príncipe da Neblina.

quarta-feira, 30 de maio de 2012

"Sultana" de Jean P. Sasson

Sob o pseudónimo de “Sultana”, uma princesa saudita – da casa real Al Saud – aceitou, arriscando a vida, relatar à jornalista e escritora norte-americana Jean P. Sasson todos os horrores, tragédias e humilhações a que, no limiar do século XXI, continuam a ser submetidas as mulheres nas sociedades mais retrógradas do mundo árabe. Utilizando nomes diferentes e alterando certos pormenores de alguns acontecimentos para proteger as pessoas envolvidas, “Sultana” descreve neste impressionante testemunho a incrível multiplicidade de actos tirânicos e bárbaros ditados por um obscurantismo implacável que promove a poligamia, dá ao homem o poder de castigar cruelmente qualquer mulher e incentiva os casamentos forçados, as mutilações e a violência sexual, as execuções por apedrejamento ou afogamento...

sexta-feira, 11 de maio de 2012

"D.Maria II - Tudo Por Um Reino" de Isabel Stilwell


Com apenas 7 anos, Maria da Glória torna-se rainha de Portugal. Um país do outro lado do oceano que nunca havia pisado. A sua infância foi vivida no Brasil, entre o calor e os papagaios coloridos que admirava na companhia dos seus irmãos e da sua adorada mãe, D. Leopoldina. A ensombrar esta felicidade apenas Domitília, a amante do seu pai, imperador do Brasil e D. Pedro IV de Portugal. Em 1828 parte rumo a Viena para ser educada na corte dos avós. Para trás deixa a mãe sepultada, os seus adorados irmãos e a marquesa de Aguiar, sua amiga e protetora. Traída pelo seu tio D. Miguel, que se declara rei de Portugal, e a quem estava prometida em casamento, D. Maria acaba por desembarcar em Londres onde conhece Vitória, a herdeira da coroa de Inglaterra a quem ficará para sempre ligada por uma estreita relação de amizade. Aos 15 anos, finda a guerra civil, D. Maria pisa pela primeira vez o solo do seu país. Seria uma boa rainha para aquela gente que a acolhia em festa e uma mulher feliz, mais feliz do que a sua querida mãe. Fracassada a sua união com o tio, agora exilado, casa-se com Augusto de Beauharnais que um ano depois morre de difteria. Maria era teimosa, não desistia assim tão facilmente da sua felicidade e encontra-a junto de D. Fernando de Saxo-Coburgo-Gotha, pai dos seus onze filhos, quatro deles mortos à nascença.

domingo, 6 de maio de 2012

"A Dama das Camélias" de Alexandre Dumas


Margarida Gautier é a mais famosa e cobiçada cortesã parisiense, Armand Duval, um jovem aristocrata com um futuro promissor. A história de amor destas duas personagens, vivida, contra os preconceitos da época, na Paris do século XIX, foi inspirada na própria paixão do autor pela cortesã Marie Duplessis, que para além de Dumas foi amante de Franz Liszt e de outros homens notáveis antes de morrer de tuberculose, aos 23 anos. A Dama das Camélias é, pois, uma elegia e um cântico ao amor que deu origem, não só à adaptação teatral feita pelo próprio Dumas, como a uma das mais famosas óperas de Verdi - La Traviata - e a dezenas de adaptações para filmes e tele-filmes. De Sarah Bernhardt a Greta Garbo, a trágica Dama das Camélias já assumiu mil belos rostos para simbolizar essa dádiva universal que é o amor

quarta-feira, 2 de maio de 2012

"A Rosa Rebelde" de Janet Paisley





Numa época em que a guerra civil dividia a nação, Anne acreditou que podia bater-se com os melhores guerreiros. Pela espada. Por convicção. Por paixão. A Rosa Rebelde conta-nos a fascinante e turbulenta história de uma notável figura histórica, Lady MacIntosh, que ficou conhecida como coronela Anne. Foi uma heroína das Terras Altas da Escócia, uma encantadora rebelde, uma Braveheart que arriscou tudo, incluindo a sua vida, por amor ao seu país e ao seu rei. Fruto de uma cuidada investigação histórica, e com notável mestria, Janet Paisley criou uma extraordinária história de amor, conflito, lealdade e traição que se lê compulsivamente. Uma sensual aventura histórica, repleta de emoção, protagonizada por uma heroína apaixonada e irresistível.

segunda-feira, 30 de abril de 2012

"Tu és o meu coração" de Alan Lazar





O maior receio do dono de um cão, de certa forma ainda pior do que o da morte de um animal de estimação querido, é que ele se perca, que desapareça durante dias, depois semanas, talvez para sempre. Tu És o Meu Coração é a história de Nelson, um cão que se deixa levar pela sua curiosidade e se perde, separando-se assim da sua dona.
Esta comovente história segue Nelson na sua caminhada de oito anos longe de casa até ao dia em que, milagrosamente, se reúne com a sua família. Durante esta jornada, Nelson conserva o espírito optimista e o desejo de reencontrar o seu Grande Amor, a sua primeira dona, uma pianista de nome Katey. Nelson nunca deixa de suspirar por ela e, por sua vez, Katey nunca deixa de o procurar.
O talentoso retrato que Alan Lazar faz das capacidades e da vida emocional de Nelson enaltece os extraordinários poderes mágicos dos cães, mostrando o quanto este pequeno rafeiro desengonçado, com um coração corajoso, nos pode ensinar, a nós, humanos. Esta história enternecedora sobre a família, a condição humana e a saudade, vai tocar bem fundo no coração de cada leitor e recordar o poder cicatrizante da sobrevivência e do amor persistente.

quarta-feira, 25 de abril de 2012

"Nas Asas Do Amor" de Sarah Sundin


Allie nunca foi suficientemente bonita para agradar à sua deslumbrante mãe, por isso fará qualquer coisa para ter a sua aprovação: até casar com um homem que não ama. Enquanto Allie quase se resigna ao seu destino, o tenente Walter Novak - destemido na cabina de pilotagem, mas sem jeito para as mulheres - vai a casa na sua última licença antes de ser enviado para a Europa, combater pela Royal Air Force durante a Segunda Guerra Mundial.
Walt e Allie conhecem-se e o seu amor pela música junta-os, fazendo-os começar uma correspondência que mudará as suas vidas. Enquanto as cartas vão e vêm entre a base de bombardeiros de Walt, em Inglaterra, e a mansão de Allie, a amizade que cresce entre os dois une-os. Mas serão eles capazes de resolver os segredos, compromissos e expetativas que os separaram?

"Breve História de Amor" de Tiago Rebelo

Breve História de Amor é o desfile de retratos autênticos sobre relações quotidianas. Caminhos do acaso que levam homens e mulheres a cruzarem os seus destinos, por vezes, nas circunstâncias mais surpreendentes.
Pessoas que se encontram, ou se reencontram, que se unem ou se separam, sentimentos intensos e irreprimíveis que determinam as suas vidas e alteram bruscamente e sem aviso os seus destinos.
Através de uma descrição intensa e cirúrgica, Tiago Rebelo conduz-nos aos pensamentos mais íntimos das personagens que tantas vezes se confundem com os nossos.
Autor de romances bem conhecidos do público, como O Tempo dos Amores Perfeitos, O Último Ano em Luanda ou Uma Noite em Nova Iorque, Tiago Rebelo oferece aos leitores a versão original das melhores histórias publicadas ao longo de mais de um ano na revista Domingo, do Correio da Manhã, e ainda o conto inédito Amores Indeléveis.

terça-feira, 24 de abril de 2012

"El Portugués" de Paulo Futre




Paulo Futre foi o primeiro jogador português a fazer história em campeonatos internacionais. Nasceu no Montijo e começou a jogar futebol assim que começou a andar. O seu talento levou-o a entrar no Sporting ainda em criança. Saiu para o Porto com 18 anos, na primeira grande transferência polémica do futebol português. Ao serviço dos dragões, tornou-se num dos jogadores mais cobiçados do futebol mundial, depois de ter ganho a Liga dos Campeões (1987). Ultrapassando a concorrência, o Atlético de Madrid contratou Paulo Futre através do excêntrico presidente Gil y Gil. Começou aí uma relação de amor e ódio entre os dois, que marcou o futebol europeu. Futre tornou-se no maior símbolo da história do clube. Passou ainda por Benfica, Marselha, AC Milan, Regianna, West Ham ou Yokohama Flugels e foi internacional por Portugal em todas as categorias, tendo sido o jogador mais jovem de sempre a vestir a principal camisola da selecção nacional.

A sua raça e o seu talento transformaram-no num dos melhores jogadores do mundo das décadas de 80 e 90, marcando uma geração de futebolistas e de adeptos que jamais esquecerá a sua forma peculiar de estar no futebol e na vida. Depois de pendurar as chuteiras, continuou ligado ao desporto do seu coração, como empresário e dirigente.

Ao longo dos últimos 30 anos, muito se disse sobre a sua vida e carreira. Neste livro terá a grande oportunidade de conhecer todas as histórias contadas pelo próprio. Muitos relatos exclusivos. Na primeira pessoa. Um testemunho genuíno, excêntrico e alegre de um os maiores futebolistas de sempre. Sócios e sócias, sejam bem-vindos ao mundo de Paulo Futre.

terça-feira, 17 de abril de 2012

"Ana Kelly" de Ângela Leite


A história verídica e singular de Ana Ludovina Aguilar, filha de nobres, ricos e influentes agricultores de Cedovim, em Vila Nova de Foz Côa, no início do séc. XIX.


Na sequência das invasões napoleónicas, a Portugal chegam as tropas britânicas. Do contingente faz parte Waldron Kelly, um oficial irlandês. Quando se cruzam, Ana e Waldron apaixonam-se e perante a recusa da família em aceitar esse amor, a jovem fidalga foge, deixando para trás uma vida faustosa e uma família humilhada.

Juntos partem para onde a guerra chama pelo dever do jovem. Corajosa, a esposa acompanha-o, sem nunca se arrepender da escolha, nem quando a miséria lhes bate à porta e mais uma vez é desprezada pela família, levando-a, em desespero, a escrever um pedido de ajuda à Rainha Vitória.

Ana Kelly – Uma Saga de Amor e Coragem é uma biografia romanceada, mas genuína e intensa, de uma mulher que tudo enfrentou e suportou em nome do amor. De Portugal aos campos da Irlanda, da Batalha de Waterloo à América.

"No Teu Deserto" de Miguel Sousa Tavares


Depois de "Equador" e "Rio das Flores", ambos campeões de vendas em Portugal, Miguel Sousa Tavares regressa com um novo romance, que promete conquistar os leitores este Verão!
No Teu Deserto de Miguel Sousa Tavares

Excerto
“Esta história que vos vou contar passou-se há vinte anos. Passou-se comigo há vinte anos e muitas vezes pensei nela, sem nunca a contar a ninguém, guardando-a para mim, para nós que a vivemos. Talvez tivesse medo de estragar a lembrança desses longínquos dias, medo de mover, para melhor expor as coisas, essa fina camada de pó onde repousa, apenas adormecida, a memória dos dias felizes.”

«Éramos donos do que víamos: até onde o olhar alcançava, era tudo nosso. E tínhamos um deserto inteiro para olhar.»

«Ali estavas tu, então, tão nova que parecias irreal, tão feliz que era quase impossível de imaginar. Ali estavas tu, exactamente como te tinha conhecido. E o que era extraordinário é que, olhando-te, dei-me conta de que não tinhas mudado nada, nestes vinte anos: como nunca mais te vi, ficaste assim para sempre, com aquela idade, com aquela felicidade, suspensa, eterna, desde o instante em que te apontei a minha Nikon e tu ficaste exposta, sem defesa, sem segredos, sem dissimulação alguma.»

«Parecia-me que já tínhamos vivido um bocado de vida imenso e tão forte que era só nosso e nós mesmos não falávamos disso, mas sentíamo-lo em silêncio: era como se o segredo que guardávamos fosse a própria partilha dessa sensação. E que qualquer frase, qualquer palavra, se arriscaria a quebrar esse sortilégio.»

«Eu sei que ela se lembra, sei que foi feliz então, como eu fui. Mas deve achar que eu me esqueci, que me fechei no meu silêncio, que me zanguei com o seu último desaparecimento, que vivo amuado com ela, desde então. Não é verdade, Cláudia. Vê como eu me lembro, vê se não foram assim, passo por passo, aqueles quatro dias que demorámos até chegar juntos ao deserto.»

segunda-feira, 9 de abril de 2012

"Jane Eyre" de Charlotte Brontë


Tido como autobiográfico, Jane Eyre é um romance da escritora inglesa Charlotte Brontë, um marco da emancipação feminina, publicado no século XIX, mais precisamente em 1847. Jane Eyre é uma autobiografia ficcionada da protagonista que, depois de uma infância e adolescência desprovidas de afecto, se torna preceptora em Thornfield Hall e se apaixona pelo seu proprietário, Mr. Rochester. Uma história sobre a liberdade humana, repleta de elementos dramáticos que compõem uma atmosfera de mistério e suspense.

terça-feira, 27 de março de 2012

"Foi Assim Que Aconteceu" de Teresa Font

Sinopse: No verão quente de 75, um escândalo abalou algumas famílias da alta sociedade lisboeta da época. Ana Carolina, uma jovem belíssima e bastante libertina para a mentalidade de então, aparece morta no seu apartamento da Avenida Elias Garcia. Suicídio? Overdose? Assassínio? Demasiado incómodo e ameaçador, o caso é rapidamente abafado. Até ao dia em que, vinte e cinco anos depois, a curiosidade de uma redactora freelance de nome Sara é subitamente desperta por uma referência ao caso. Profundamente intrigada com os contornos da história daquela heartbreaker dos anos 70, dá início a uma investigação por conta própria que irá revelar-se surpreendente. Ironia, emoção e humor na estreia literária de uma autora que promete revolucionar o thriller português.
Obra vencedora do ´Prémio Máxima Revelação 2008´.

«Divertido, umas vezes terno, muitas vezes perturbador é um livro que dá prazer a quem o lê. Afinal, o grande objectivo de qualquer romance que se preze.»
                                                                          Francisco Moita Flores

terça-feira, 20 de março de 2012

"A Melodia do Amor" de Lesley Pearse


Liverpool, 1893. Os sonhos de Beth são desfeitos quando ela, o irmão Sam e a irmã mais nova, Molly, ficam órfãos. As suas vidas, até então tranquilas e seguras, sofrem uma dramática reviravolta. Para escapar a um futuro de miséria e servidão, Sam e Beth decidem arriscar tudo, atravessar o Atlântico e partir à conquista do sonho americano. Mas Molly é demasiado pequena para os acompanhar e os irmãos vêem-se obrigados a tomar uma decisão que os marcará para sempre: deixá-la em Inglaterra, a cargo de uma família adoptiva.
A bordo do navio para Nova Iorque não faltam vigaristas e trapaceiros, mas o talento de Beth com o violino conquista-lhe a alcunha de Cigana, a amizade de Theo, um carismático jogador de cartas, e do perspicaz Jack. Juntos, os jovens vão começar de novo num país onde todos os sonhos são possíveis.
Para a romântica Beth, esta será a maior aventura da sua vida. Conseguirá a Cigana voltar a encontrar um verdadeiro lar?

Uma história de amor incondicional e coragem sem limites. Um livro irresistível, da autora de Nunca me Esqueças, Procuro-te e Segue o Coração.

segunda-feira, 19 de março de 2012

TAG

A Ana Oliveira resolveu lançar-me um pequeno questionário:

1-Se pudesses mudar de nome, qual escolherias? Nome e sobrenome
 Gosto muito do meu nome... acho que me assenta na perfeição


2-Qual a cor que tens mais na tua roupa?
 Cinzenta, pois é uma cor que dá com quase tudo...


3-Para quem foi a tua última chamada/mensagem?
 Para a minha avó

4-Último livro que leste?
 Estou a ler, "A Infanta Rebelde" de Raquel Ochoa

5-Banda preferida e música predilecta?
Gosto de quase tudo o que seja música portuguesa.

6-Se pudesses ser um animal, qual quererias ser?
 Gato, pois é um animal muito independente mas ao mesmo tempo muito meigo

7-O que mais odeias quando chegas a casa depois de um dia 'muito longo'?
 O meu gato querer sair de casa e eu querer entrar e ver qual de nós ganha a "fuga"

8-Um momento super embaraçoso que já tenhas vivido
Não me recordo de nenhum

9-Qual o teu feriado preferido e porquê?
 Qualquer um que seja junto a um fim de semana, pois assim o fim-de-semana fica um bocadinho mais comprido...

10-Mesmo sem ter jeito ou vocação, qual a profissão que sempre sentiste uma admiração enorme e gostavas de ter, apesar de tudo?
  Medicina, e acho que não seria má médica...

11-O que odeias que te façam?
Que as pessoas sejam falsas umas para as outras


Agora que já respondi, vou passar à frente com as minhas perguntas...

1 - Se tivesses de te definir em 5 palavras quais seriam?
2 - És feliz na profissão que exerces?
3 - Qual é a profissão com que mais te identificas?
4 - Se fosses uma personagem da BD qual serias?
5 - Qual o livro que mais te marcou até hoje?
6 - Qual o último livro adquirido (comprado, trocado ou oferecido)?
7 - Qual a última música ouvida?

8 - Qual a música que mais te toca?
9 - Com que animal mais te identificas?
10 - O que estás a fazer neste preciso momento?
11 -  Sem olhares para o relógio, que horas são?


E vou desafiar...

Café de Letras 
O Tempo entre os meus livros 
A Árvore dos Livros 
A Sombra dos Livros
tons de azul
Rol de Leituras 
... Os devaneios da Jojo ...
... viajar pela leitura... 
A Magia dos Livros 
A Rapariga dos Livros
Horizonte dos Livros



Regras:
1. Criar um post e responder às questões de quem te deu a TAG no post;
2. Criar 11 novas perguntinhas diferentes para passar adiante;
3. Escolher 11 bloggers para dar a TAG e colocar o link dela no post;
4. Ir para a página das bloggers selecionadas e dizer-lhes que foram tagueadas;
5. Não se pode taguear a blogger que nos indicou a TAG;
6. Avisar a blogger que nos passou a TAG quando fizermos o post sobre a mesma :

sexta-feira, 16 de março de 2012

"A Infanta Rebelde" de Raquel Ochoa

Neta de D. Miguel I e última filha de D. Miguel II, Maria Adelaide de Bragança, Infanta de Portugal, nasceu em Janeiro de 1912.
Desde muito cedo, foi testemunha de um mundo em transformação. Assistiu à queda de impérios, viveu por dentro duas guerras mundiais e participou activamente na resistência contra os nazis. Por duas vezes esteve presa e em ambas foi condenada à morte. A intervenção directa de Salazar numa delas e um desenlace surpreendente noutra permitiram que continuasse a sua luta.
Ao chegar a Portugal, já casada, com o seu estilo sincero, directo e inconformado, continuou a defender as ideias em que acreditava, no auxílio aos mais desfavorecidos, desagradando a uma sociedade que considerava a sua actuação pouco adequada a uma pessoa da sua condição.
A Infanta Rebelde mostra-nos a vida de uma figura absolutamente ímpar na História Contemporânea de Portugal, mas, acima de tudo, o retrato de uma mulher que teve a coragem de ultrapassar todos os obstáculos e lutar pelo ideal que dava sentido à sua vida tornar a sociedade, tal como a sua natureza, mais justa e benévola.

Biografia de: 

Maria Adelaide de Bragança, (nome completo: Maria Adelaide Manuela Amélia Micaela Rafaela de Bragança; Saint-Jean-de-Luz, 31 de Janeiro de 1912 - Almada, Caparica, Quinta do Carmo, 24 de Fevereiro de 2012, filha de Miguel de Bragança e de Maria Teresa de Löwenstein-Wertheim-Rosenberg.
Casou com Nicolaas van Uden, no dia 13 de Outubro de 1945, em Viena, Áustria. Do casamento, tiveram seis filhos:
  • Adrianus Sergius Antonius Maria van Uden (1946-)
  • Nuno Miguel de Bragança van Uden (1947-)
  • Francisco Xavier de Bragança van Uden (1949-)
  • Filipa Teodora Maria van Uden (1951-)
  • Miguel Ignacio van Uden (1954-)
  • Maria Teresa de Bragança van Uden (1956-)
Viveu em Viena, Áustria, trabalhando como enfermeira e assistente social. Durante a Segunda Guerra Mundial, quando havia bombardeamentos, deslocava-se durante a noite para os locais atingidos, para prestar ajuda às vítimas. Integrou um movimento de resistência à Gestapo, tendo sido condenada à morte. O então Presidente do Conselho de Ministros, António de Oliveira Salazar, interveio junto dos alemães, afirmando que D. Maria Adelaide era cidadã nacional. Esta intervenção da diplomacia portuguesa resultou na sua libertação e deportação imediata, tendo-se estabelecido na Suíça, onde vivia o seu irmão [[Duarte Nuno de Bragança]. Após a guerra, a família finalmente voltou para a Áustria.
Em 1949, D. Maria Adelaide voltou para Portugal. Enquanto isso, o marido graduou-se em medicina na Universidade de Viena, especializando-se em doenças de pele. Mas quando Nicolaas van Uden chegou a Portugal, não lhe foi dada equivalência, pelo que não pôde exercer a profissão. Vai então trabalhar num pequeno labaratório de pesquisa na Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, até que chega a oportunidade para trabalhar em parceria com a Fundação Calouste Gulbenkian. Assim nasceu o Instituto Gulbenkian de Ciência, que promove a investigação científica em diversas áreas desde os anos 50.
Originalmente, a família Van Uden instalou-se na Quinta do Carmo, em Almada. A Sr.ª Maria Adelaide começou a trabalhar como assistente social em algumas iniciativas locais, dado que a Trafaria e o Monte da Caparica eram locais muito pobres.
Alguns círculos monárquicos em Portugal consideram que D. Maria Adelaide, por ser neta de rei (D. Miguel I), era o único membro da Família Bragança que poderia reclamar um direito ao trono de Portugal, de acordo com as leis tradicionais de sucessão, em representação dos direitos dinásticos de seu pai, Sr. Miguel, a quem os legitimistas reconheciam a designação de D. Miguel.
Em 31 de Janeiro de 2012, data do centenário do seu nascimento, foi agraciada pelo Presidente da República Cavaco Silva com a medalha da Ordem do Mérito. Faleceu na Quinta do Carmo, na Caparica, Almada, a 24 de Fevereiro de 2012.

quarta-feira, 14 de março de 2012

Marcador

Numa das minhas últimas deslocações à livraria "Bertrand" e em que comprei um livro "A Infanta Rebelde" de Raquel Ochoa deparei-me com um marcador que tinha um pequeno texto que não resisto a reproduzir:

"O Fim é o princípio.
Uma página que se vira.
Somos a tinta fresca áspera.
A capa dura. Aquilo que procura.
Somos a História.
Desde sempre.
O terramoto de 55 e a revolução de 74.
Somos todos os nomes.
As pessoas do Pessoa.
Alexandre Herculano e Ramalho Ortigão.
O Mundo na mão.
Ponto de encontro.
De quem pensa. De quem faz pensar.
Temos pele enrugada de acontecimento.
As páginas são nossas.
E o pó que descansa na capa também.
Sabemos falar de guerra e paz,
explicar a origem das espécies
e dizer qual a origem das coisas.
Somos o que temos.
A tradição A opinião.
A História de dor e de amor.
Somos o nome do escritor.
A mão do leitor."

Que vos parece, não merecia ser reproduzido?

domingo, 11 de março de 2012

"O Pântano da Meia-Noite" de Nora Roberts


Depois de ter sonhado com a compra de Manet Hall durante vários anos, Declan Fitzgerald decide-se finalmente a dar esse passo. Larga o seu escritório de advogado em Boston e dispõe-se a dar início à imensa tarefa de restaurar a casa. Algum tempo depois, o jovem começa a interrogar-se sobre a veracidade de alusões ao facto de a casa estar assombrada. Sente uma crescente angústia, como se a casa fosse refém de um terror e de uma tristeza que nada nem ninguém podem controlar.A bela vizinha Angelina consegue distrai-lo desses pensamentos sombrios, mas também ela tem uma estranha relação com Manet Hall. E, para que ambos possam entregar-se à mútua paixão, será necessário desvendarem um segredo do passado, tão oculto e negro quanto o próprio pântano.

Prémio Dardos

YUPIIIII... ganhei um selinho de Rol de leituras (não deixem de visitar...)
"O Prémio Dardos reconhece os valores que cada blogueiro mostra em cada dia no seu empenho por transmitir valores culturais, éticos, literários, pessoais... que, em suma, demonstram a sua criatividade através do pensamento vivo que está e permanece intacto entre as suas letras, entre as suas palavras."

Possui três regras:
1- Se aceitar, exibir a imagem.
2- Linkar o blog que lhe ofereceu o prémio.
3- Escolher 15 blogs para entregar o Prémio Dardos

Agradeço muito e vou também premiar 15 blogs que visito com regularidade:

Café de Letras
O Tempo Entre Os Meus Livros
A Árvore dos Livros
A Magia dos Livros
A Rapariga dos Livros
D311nh4
Biblioteca Transmissível
Conta-me Histórias
Estante Acidental
Leituras de A a B
Que a Estante nos Caia em Cima
Refém das Letras
tons de azul
Uma Biblioteca Aberta
Sombra dos Livros

Façam como eu fiz e entreguem a quem acham que merece...

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

"A Sombra do Vento" de Carlos Ruiz Zafón

 
 
Numa manhã de 1945 um rapaz é conduzido pelo pai a um lugar misterioso, oculto no coração da cidade velha: o Cemitério dos Livros Esquecidos. Aí, Daniel Sempere encontra um livro maldito que muda o rumo da sua vida e o arrasta para um labirinto de intrigas e segredos enterrados na alma obscura de Barcelona.
Juntando as técnicas do relato de intriga e suspense, o romance histórico e a comédia de costumes, "A Sombra do Vento" é sobretudo uma trágica história de amor cujo o eco se projecta através do tempo. Com uma grande força narrativa, o autor entrelaça tramas e enigmas ao modo de bonecas russas num inesquecível relato sobre os segredos do coração e o feitiço dos livros, numa intriga que se mantém até à última página.
A Sombra do Vento de Carlos Ruiz Zafón

Excerto
"Ainda me lembro daquele amanhecer em que o meu pai me levou pela primeira vez a visitar o cemitério dos Livros Esquecidos. Desfiavam-se os primeiros dias do Verão de 1945 e caminhávamos pelas ruas de uma Barcelona apanhada sob céus de cinza e um sol de vapor que se derramava sobre a Rambla de Santa Mónica numa grinalda de cobre líquido.
- Não podes contar a ninguém aquilo que vais ver hoje, Daniel - advertiu o meu pai. - Nem ao teu amigo Tomás. A ninguém."